Palavracom's Blog


Com a entrega de apartamentos e escritórios, Cidade Sustentável sai do papel neste ano
junho 24, 2013, 9:50 pm
Filed under: Construção civil, Meio Ambiente, Sustentabilidade, Urbanismo | Tags:

Pedra Branca começa a dar vida ao ‘coração’ do centro de bairro

          A consolidação da Cidade Pedra Branca como projeto de construção de um bairro sustentável começa a sair do papel em 2013, com a entrega dos apartamentos residenciais e dos escritórios comerciais que compõem o centro do empreendimento. No primeiro semestre deste ano estarão prontos os edifícios Pátio da Pedra e Pátio das Flores, com seus 400 apartamentos; no final do ano, será a vez do Office Green, um prédio comercial com 200 escritórios e com o título de ser o primeiro prédio comercial em Santa Catarina a obter a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), que o capacita a ser o primeiro no Estado a receber o selo de sustentabilidade.

Além de ser projetado com medidas que reduzam o consumo de água, energia e poluentes, o prédio verde atenderá à crescente demanda de escritórios na região com uma proposta diferenciada. Segundo Dilnei Bittencourt, engenheiro da Pedra Branca, o custo operacional de um empreendimento inteligente, planejado pensando no usuário e no meio ambiente, é bem menor comparado a um convencional, que não prioriza a iluminação e ventilação natural, por exemplo. “No caso de um prédio de escritório como o Office Green, a rotatividade diminui e a produtividade aumenta em até 5% devido à qualidade do espaço interno”.

Entre as características que o qualificam como edifício sustentável estão a coleta seletiva de resíduos, coletor de pilha e baterias, ar-condicionado ecológico, lâmpadas ecoeficientes, aproveitamento de água de chuva, utilização de tintas à base de água, aço reciclado e madeira certificada.

Depois da entrega dos prédios residenciais – quando o centro da Cidade Pedra Branca já estiver transbordando de vida – e um pouco antes do “prédio verde”, será lançado o Passeio Pedra Branca, um espaço privilegiado para lazer, trabalho, diversão e compras para ser considerado o coração do empreendimento. O Passeio reunirá um variado mix de serviços baseado nos segmentos de design, gastronomia, compras e cultura, que vai tornar a região uma referência de lazer e negócios.  O projeto ocupará o térreo dos prédios da região central e vai contar com farmácia, salão de beleza, loja de bicicletas, livraria e bancos.

Uma via de bons restaurantes, cafés, confeitarias e lojas voltadas ao design e decoração darão um charme especial à área.  Tudo pensado com o foco de melhorar a cidade para as pessoas e criar um ambiente convidativo. Além de prezar pelo conforto dos pedestres e ciclistas, o novo centro do bairro será elegante e exclusivo, de modo a criar um novo estilo de vida entre os moradores. “O que estamos oferecendo não são apartamentos ou salas comerciais. É um endereço com a oportunidade de morar, trabalhar e estudar no mesmo lugar. A proposta da Pedra Branca é o acolhimento”, resume Valério Gomes, idealizador do empreendimento.

Urbanismo inovador

Desde que deixou sua condição de fazenda (com 250 hectares) de propriedade familiar destinada à pecuária para se tornar um projeto urbanístico inovador no início dos anos 2000, a Pedra Branca já passou por algumas fases. Até 2020, pretende se tornar um dos melhores lugares para as pessoas viverem. Para a meta ser alcançada, Valério Gomes crê que a interação com os colaboradores é fundamental. “Nós temos um desafio enorme pela frente, que envolve todos que trabalham na Pedra Branca, que é construir um local onde as pessoas desejem morar. Para isso se concretizar, a colaboração de cada um é muito importante.”

Apontado como referência nacional e internacional, a construção do empreendimento é pautada nos conceitos do Urbanismo Sustentável, que tem como prioridade a qualidade de vida e o resgate às antigas cidades. Nessa ótica, a infraestrutura do bairro é planejada para que os moradores possam se deslocar prioritariamente a pé ou de bicicleta, pois o local oferecerá a curta distância entre moradia, emprego, educação, serviços e lazer. No projeto urbanístico do ‘bairro-cidade’, como também é conhecido, estão previstos 35 km acessíveis a bicicletas e as pessoas poderão acessar diversos pontos do empreendimento pedalando.

Anúncios


3ª Exposição Destaque das Bienais de Arquitetura realizada em SC termina domingo (16/6)
junho 11, 2013, 5:58 pm
Filed under: Arquitetura, Meio Ambiente, Sustentabilidade, Tecnologia, Urbanismo | Tags:

gabon_cam5_final2

Melhores trabalhos apresentados em Buenos Aires, Colômbia e São Paulo estão expostos no Museu de Arte do estado, em Florianópolis

Arquitetos, urbanistas brasileiros e estudantes de arquitetura têm até sábado (16 de junho) para conferir no Museu de Arte de Santa Catarina (Masc) alguns dos melhores projetos de arquitetura que foram destaques nas últimas bienais de Buenos Aires, Colômbia e São Paulo. A mostra internacional, realizada pela terceira vez pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA/SC), abriu no dia 23 de maio, no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. Entre as obras expostas, cuidadosamente selecionadas pelos curadores da mostra – arquiteto André Schmitt e jornalista Vicente Wisembach – estão o Circuito Cultural Praça da Liberdade, de Minas Gerais, maior complexo cultural do Brasil, e a reurbanização e recuperação de espaços públicos na cidade de Santa Fé, em Rosário, na Argentina.

Por reunir 280 pranchetas de mais de 50 projetos da arquitetura nacional, latino-americana e catarinense, a 3ª Exposição Destaque das Bienais é um convite à ampliação do conhecimento, segundo destaca Ricardo Fonseca, presidente da entidade organizadora. “Ocupar um espaço cultural nobre com uma exposição internacional de arquitetura proporciona aos profissionais catarinenses e de outros estados conhecer trabalhos de referência, que mostram a criatividade utilizada por renomados arquitetos, desde pequenas habitações de cunho social até planejamento de um bairro inteiro”, observa.

Dos 800 m2 ocupados pela exposição, um espaço é dedicado para realizações focadas no Urbanismo Sustentável, com o do bairro planejado Pedra Branca, que está em construção em Palhoça, na Grande Florianópolis, projeto premiado na XIII Bienal Internacional de Arquitetura em Buenos Aires, na Argentina.

  • Mostra Urbanismo Sustentável – com destaque para os projetos de Santa Catarina apresentados na Bienal de Buenos Aires. 

Pedra Branca: Prêmio Urbanismo.

Sala especial com maquetes atualizadas e fotos das obras que serão entregues em 2013: as duas primeiras quadras, os edifícios Office Green e Corporate Center, o shopping aberto, a praça e a primeira rua compartilhada. Junto à mostra haverá um espaço destinado à sustentabilidade.   

Vita e Ocio.

Proposta de diretrizes para uma melhor ocupação das áreas costeiras e serranas de Santa Catarina. 

Jardim Botânico de Florianópolis.

Apresentação do projeto para os novos espaços do Jardim Botânico em três diferentes pontos de Florianópolis. Desenvolvido por alguns dos principais arquitetos e urbanistas do Estado. 

  • Mostra Novos Espaços Culturais no Brasil.

Versão ampliada da exposição que representou o Brasil na Bienal de Buenos Aires. Com destaque para os novos espaços culturais de Minas Gerais e São Paulo. 

Minas Gerais.

Circuito Cultural Praça da Liberdade. Maior complexo cultural do Brasil reunindo 13 espaços culturais, entre museus históricos, artísticos e temáticos, centros culturais, bibliotecas e espaços para oficinas, cursos e ateliês. Destaque para o Museu das Minas e Metais, com museografia de Marcello Dantas e arquitetura de Pedro Mendes da Rocha e Paulo Mendes da Rocha (Prêmio Pritzker de Arquitetura).

São Paulo.

Parque da Juventude, arquitetura de Aflalo & Gasperini.

Centro Cultural Maria Luiza e Oscar Americano, arquitetura de Carlos Bratke.

Projetos selecionados nas Bienais de Buenos Aires e Ibero-americana

Entre outros serão expostos projetos de: 

  • Mário Corea (Espanha/Argentina)  – 1º Prêmio Internacional e Prêmio Gestão Pública na XIII BA. Reurbanização e recuperação de espaços públicos na cidade de Santa Fé, Rosário, Argentina.
  • Geraldo Caballero (Argentina) – 1º Prêmio Arquitetura Argentina + Prêmio CICA de Habitação Coletiva Argentina.
  • Alvaro Puntoni (Brasil) – Prêmio Nova Geração Latino-americana na XIII BA.
  • Josep Maria Botey (Espanha) – Prêmio Patrimônio Histórico na XIII BA.  Intervenções Contemporâneas no Patrimônio Histórico.
  • Roberto Converti (Argentina) – Exposição “El Azul en la Ciudad – O protagonismo urbano da água”, organizada pelo curador veneziano Rinio Bruttomesso, do Centro Internacional “CITTÁ d’AQUA” de Veneza (IT).  Essa mostra apresenta, significativos projetos de quatro importantes escritórios internacionais de Arquitetura e Urbanismo, “EL Protagonismo Urbano Del Agua”, sendo um deles a oficina urbana liderada por Roberto Converti. Juntamente com essa exposição serão apresentados projetos locais.

 Projetos selecionados na 9ª BIA – São Paulo 

  • Centro Administrativo de Chapecó
    Marcos Jobim, Silvana Carlevaro, Leandro Rotolo Soares.
    Chapecó, Santa Catarina.
  • Edifício Sede do CONFEA
    Pedro Paulo de Melo Saraiva, Pedro de Melo Saraiva, Fernando de Magalhães Mendonça, Ricardo Kinai, Claudio Reuss, Noemi Yassue Kayo.
    Brasília, DF.
  • Orquidário Professora Ruth Cardoso
    Décio Tozzi.
    Parque Villa-Lobos, São Paulo, SP.
  • Edifício W305
    Isay Weinfeld. São Paulo, SP. 
  • Urbanização do Cantinho do Céu
    Marcos Boldarini e Melissa Matsunaga. São Paulo, SP.


No dia de assinatura do 1º contrato entre Pedra Branca e Bradesco, nasce futura moradora do bairro
abril 19, 2013, 9:48 pm
Filed under: Arquitetura, Construção civil, Meio Ambiente, Urbanismo | Tags:

Contrato Bradesco 1

Enquanto Rute Chierighini assinava documentos do financiamento do apartamento no Pátio da Pedra, sua filha dava luz à Amanda 

O dia 17 de abril de 2013 ficará marcado para sempre na vida da funcionária pública Rute Chierighini, de 58 anos. A sobrinha, que Rute considera como filha, entrou em trabalho de parto no mesmo momento em que ela assinava o financiamento da compra do apartamento no Pátio da Pedra que dará a ela.  Amanda, futura moradora do imóvel, nasceu na clínica Santa Helena, no bairro de Coqueiros, em Florianópolis. A feliz coincidência deixou Rute emocionada e marcou a assinatura do primeiro contrato de repasse do Bradesco para a incorporadora Pedra Branca S.A.

Perguntada sobre por que Francine e o marido Elvis Cristiano Tolotti, 41 anos, escolheram comprar a casa própria na Pedra Branca, Rute é pontual. “Tudo o que o empreendimento oferece de oportunidades e benefícios, como qualidade de vida, veem ao encontro do gosto deles, pois são pessoas que prezam pela sustentabilidade e preservação do meio ambiente”, observa. Encantada com o projeto ela já pensa em morar no local também. “Este é um projeto inovador que serve de exemplo para outras construtoras na construção de loteamentos. Quem sabe no futuro em venha a morar aqui”, afirma.

A emoção da compradora foi celebrada pelo diretor executivo da Pedra Branca, Marcelo Gomes, e o gerente da agência do Bradesco da Álvaro de Carvalho, Elton Deimling. “A assinatura desde contrato é o primeiro de muitos que serão assinados por futuros moradores da Pedra Branca neste e nos próximos anos. Isso consolida nossa parceria que iniciou em 2009 quando o projeto ainda estava no papel e agora começar a virar realidade”, ressalta o gerente bancário.



AsBEA visita a arquitetura colombiana
novembro 9, 2012, 7:59 pm
Filed under: Arquitetura, Cultura, Urbanismo

III Encontro Estadual começa em Bogotá e se estenderá para  Cartagena e Medellín

O III Encontro Estadual AsBEA/SC levou à Colômbia os principais escritórios de arquitetura de Santa Catarina. A primeira escala da viagem promovida pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura/SC  foi nesta sexta-feira  (9) em Bogotá, onde o grupo visita  o Museo del Oro, Museu de Arte Moderno e as Torres Del Parque, obras arquitetônicas contemporâneas. No sábado  (10), os arquitetos farão um tour de bicicleta pelos parques do Archivo Histórico Nacional, Centro Cultural Garcia Marquez. Depois, visitam a Catedral de Sal/Zipaquirá.

“Elegemos a Colômbia para sediar nosso evento pela importância da escola recente daquele país e a necessidade de o Brasil usar seu potencial criativo para pensar em como organizar as cidades, trabalhar a arquitetura sustentável”, disse o presidente da AsBea/SC, Ricardo Fonseca.

No domingo (11), será a vez de conhecer as obras contemporâneas do arquiteto Rogelio Salmona; depois, o grupo segue para Cartagena, onde fará visita à cidade histórica e ao castelo San Felipe. De Cartagena, os arquitetos seguem para Medellín, que oferece um poderoso exemplo de como a arquitetura pública pode produzir uma mudança social. Medellin é cidade conhecida por sua pobreza arraigada e violentos cartéis de drogas, tendo embarcando num ambicioso programa para reinventar-se através do design.

Inspirado pela revitalização dos bairros de Barcelona antes de 1992 – Jogos Olímpicos -, o prefeito de Medellín, Sergio Fajardo, implementou uma campanha policial agressiva para acabar com os cartéis de drogas. Recrutou uma equipe de arquitetos locais, urbanistas, assistentes sociais e membros da comunidade para desenvolver grandes edifícios públicos e parques que foram a alguns dos bairros mais pobres e perigosos da cidade. O resultado é um conjunto de belos edifícios projetados e parques que estimulam o engajamento da comunidade e prestam vários serviços sociais. A maior parte do desenvolvimento ocorreu apenas nos últimos cinco anos. Nesse tempo, a cidade construiu cinco novas bibliotecas (que também funcionam como centros comunitários que oferecem creches, bureaus de crédito e serviços), instalou dez novas escolas e atualizou mais de 130 outras.

Em Medellín, o grupo visita, entre outros pontos,  a Biblioteca Espanha, Colégio Santo Domingo, Parque de los Deseos, Planetario, Parque Explora e Parque Bicentenário.



“Precisamos estimular o convívio em nossas cidades”
novembro 9, 2012, 6:34 pm
Filed under: Arquitetura, Meio Ambiente, Sustentabilidade, Urbanismo | Tags: , ,

Em palestra na Pedra Branca, urbanista Dalmo Vieira Filho defende resgate de papel histórico da Ponte Hercílio Luz

 As cidades ficaram homogêneas, empobreceram e tornaram-se lugares apenas de circulação.  Foram planejadas apenas para o automóvel, esquecendo-se das pessoas e da convivência. O retrato acanhado dos municípios da era moderna foi desenhado pelo arquiteto e urbanista, Dalmo Vieira Filho, professor da UFSC e ex-diretor do Iphan (Instituto do Patrimônio História e Artístico Nacional) em palestra sobre “Urbanismo Sensível”, ministrada a um seleto público de arquitetos e urbanistas no showroom da Cidade Sustentável Pedra Branca. “Esperamos que Dalmo passe muito a conviver conosco”, comemorou Valério Gomes, presidente da Pedra Branca.

 “Precisamos fazer do centro de nossas cidades uma sala de estar. Cidade é não apenas lugar de passagem, e circulação, mas de permanência; ela tem alma. É preciso estimular a convivência”, conclamou Dalmo, do alto da experiência de quem foi superintendente do Iphan em Brasília durante três anos.

         Num retrospecto urbanístico, Dalmo destacou que no século XX os municípios foram reestruturados até o limite, esquecendo-se do equilíbrio entre a técnica e a humanidade. “As cidades se escancaram, tornaram-se impessoais e a preservação não foi feita como deveria ter sido. Elas ficaram comuns sem apresentar cenários de nossa existência. A estética ficou de fora”, lamentou. Para o século XXI, ele aponta como bom exemplo Londres, que buscou a ressignificação, ou seja, encarou a complexidade de maneira mais simples.

Plano

Incitando o público a pensar e buscar “nossa cidade ideal”, Dalmo traçou, em linhas gerais, o plano que arquitetou para Florianópolis e entregou, durante a campanha, aos candidatos à sucessão do prefeito Dario Berger.  “Não temos um modelo estabelecido. Não sabemos para onde queremos ir. Jaime Lerner costuma dizer que o melhor urbanista é aquele que vive o lugar, sente e tem condições de mexer nessa complexidade envolvendo nossas cidades”, admitiu.

         O plano, explicou o urbanista, se alicerça em duas grandes vertentes: mobilidade e centralidade. “Ninguém em Santa Catarina interferiu mais nas nossas cidades como o pessoal do trânsito”, observou, chamando, mais uma vez, atenção para a maneira privilegiada com que os automóveis são tratados por nossos administradores.

No caso de Florianópolis, Dalmo receita o resgate do papel histórico da Ponte Hercílio Luz, de ligar a Ilha ao Continente. “A mobilidade precisa ser enfrentada de verdade, não apenas apostando em vias e pontes para escoamento. Precisamos invertê-la para o coletivo, com os ônibus circulando na velha ponte”, acrescentou.

A centralidade, por sua vez, nada mais é do que revitalizar o cérebro, o coração da Capital, dando as pecularidades existentes seu verdadeiro valor. “O largo da Alfândega é um bom exemplo que poderia ser mudado recebendo mesinhas, cadeiras etc”, exemplificou, cobrando iniciativas públicas que possibilitem transformar a região central numa ampla sala de estar, de convívio social. “A Praça XV, o calçadão da Felipe Schmidt morrem nos finais de semana. Infelizmente, nenhum lugar do mundo trata o centro como o Brasil”, observou referindo-se à falta de opções de lazer e cultura.



Copenhague moderna e sustentável é destaque no happy hour da AsBEA/SC
outubro 29, 2012, 7:29 pm
Filed under: Arquitetura, Sustentabilidade, Urbanismo | Tags: , , ,

Arquiteto Marcos Jobim apresenta como a cidade cria estrutura sustentável para melhorar qualidade de vida dos moradores,nesta terça-feira(30),em Florianópolis

A modernidade aliada à sustentabilidade em Copenhague, capital da Dinamarca, é o tema que o arquiteto Marcos Jobim vai abordar no happy hour da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura de Santa Catarina (AsBEA/SC), nesta terça-feira (30/10), às 19h30, no Showroom da Bontempo, na rua Altamiro Guimarães,  no centro de Florianópolis.

Copenhague quer ser a primeira cidade totalmente sustentável do mundo e a receita para isso envolve o uso constante da bicicleta, gestão adequada de resíduos e investimentos em energias alternativas. Com o objetivo de se transformar em uma “eco-metrópole” até 2015, a Capital tem feito investimentos e traçado estratégias para aumentar sua frota de bikes, ônibus, trens e linhas de metrô e reduzir o uso do carro individual. Somente em 2008, a prefeitura instalou mais de 5 mil vagas de estacionamento para bicicletas na cidade e retirou os pontos de parada dos carros como forma de facilitar a visualização dos ciclistas. Além disso, a cidade prioriza os espaços públicos como ponto de encontro e forma das pessoas se relacionarem.

Formado pela UFSC e especialista em projetos arquitetônicos pela ETSAB de Barcelona, Marcos Jobin esteve na cidade e pôde conhecer os projetos de sustentabilidade para Copenhague. “Arquitetura se estuda aprendendo primeiro a olhar e identificar boas soluções de projetos. Somos a somatória de todos os arquitetos que deixaram um legado para que possamos repetir boas soluções e superar limitações do passado”, afirma a arquiteto, que tem mais de 14 anos de profissão. Confirmações de presença pelo telefone (48) 3028-3628 ou pelo e-mail secretaria@sc.asbea.org.br.

Serviço:

Happy Hour AsBEA com Arquiteto Marcos Jobim

Dia: 30/10/12 (terça-feira)

Local: SHOWROOM DA BONTEMPO, na Rua Altamiro Guimarães, 270 – Centro – Florianópolis.

Horário: 19h30min



CDL e Prefeitura entregam primeira fase da revitalização da Jerônimo Coelho
outubro 15, 2012, 6:52 pm
Filed under: Comércio, Turismo, Urbanismo

Projeto transforma via do Centro na primeira ‘rua temática’ da Capital, como homenagem ao patrono da imprensa catarinense

Painel inaugurado no dia 11 traz informações históricas sobre Jerônimo Coelho

 

O Núcleo do Centro Histórico da CDL de Florianópolis, em parceria com a Secretaria Municipal de Obras, entregou à população nesta quinta-feira (11) a primeira fase das obras de revitalização da rua Jerônimo Coelho, importante via comercial do centro da Capital, iniciadas em maio. A entrega simbólica foi feita mediante o descerramento de um painel na esquina das ruas Jerônimo Coelho e Felipe Schmidt, homenageando o patrono da imprensa catarinense. O painel identifica a via como “a primeira rua temática de Florianópolis, celebrando a imprensa e a comunicação”.

Na segunda fase do projeto de revitalização, a cargo do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (Ipuf), a rua deve justificar seu caráter temático e receber iluminação e mobiliário compatíveis com o tema imprensa. Além disso, as fachadas dos prédios devem ser repaginadas para remeter a seu caráter histórico. “Que as pessoas olhem para os prédios e se lembrem do passado, tudo tem vida, tudo fala”, disse Sidnei Escobar, coordenador do Núcleo do Centro Histórico.

“Esta obra representa um passo fundamental para a revitalização do centro histórico de nossa capital, e casa perfeitamente com outros projetos desenvolvidos pela entidade, como o roteiro autoguiado do Centro Histórico”, comentou Pedro Paulo de Abreu, presidente da CDL de Florianópolis.  Para ajudar a estabelecer o clima de resgate histórico que se espera da rua, o jornalista Manoel Timóteo de Oliveira, diretor de Promoção e Eventos da Associação Catarinense de Imprensa (ACI) – também parceira da CDL no projeto – comprometeu-se a fornecer a reprodução da primeira página do antigo Diário Catarinense, dos Diários Associados, cuja redação, segundo ele, ficava na Jerônimo Coelho.

         “Temos várias ruas no Centro que necessitam de revitalização. Estamos buscando parceiros, como a CDL de Florianópolis, para dar dinamismo à obra e à cidade. Este projeto da Jerônimo Coelho foi feito da forma como gostamos de fazer: em parceria”, ressaltou o secretário municipal de Obras, Luiz Américo Medeiros. A ideia da CDL, segundo o gestor de Negócios Hélio Leite, é transformar a Jerônimo Coelho num polo de eventos culturais.